Práticas sustentáveis – Por que a prática de horta urbana tem um grande poder de transformação?

Pensar em práticas sustentáveis de alimentação é algo transformador e uma preocupação atual, principalmente em centros urbanos, onde se concentram os maiores índices populacionais. A qualidade desse meio necessita estar em sintonia com o ecossistema em geral. As hortas urbanas são uma prática de importância para a população e a possibilidade da prática agrícola e o contato com a natureza, bem como pelos momentos de convívio e satisfação pessoal que essa prática oferece. As ações mais sustentáveis englobam a reciclagem dos resíduos orgânicos e uma maior consciência ambiental. Tudo isso contribui para a minimização das influências negativas da poluição e elevação da qualidade de vida.

Horta – tudo verde, tudo fresquinho, tudo nosso

Imagine que em sua cidade, os canteiros estão cheios de legumes e verduras fresquinhos, que cortam o cinza do asfalto. Essa prática tem ganhado vários adeptos que começam a ocupar o espaço urbano com a prática da horta urbana. Áreas esquecidas, que acumulavam lixo e não tinham segurança, hoje, transformam a cena das cidades, levando a prática da alimentação compartilhada, saudável, além de ser um exercício do convívio social, reintegração de valores esquecidos e aumento das experiências positivas, ainda mais quando empregados em lugares marginalizados.

Terrenos ociosos podem transformar-se em horta, desde que seja feito um contato com o proprietário ou com a subprefeitura da região para solicitar o uso do solo. É importante contatar um agrônomo para fazer a análise do solo e das possibilidades de plantio.

As hortas urbanas comunitárias trazem o sentimento de mobilização social, pois a população sente-se parte da cidade, reintegrando o espaço que por direito é dos moradores. Práticas de plantio urbano são boas para todo mundo: embelezam as cidades, diminuem o impacto da poluição, incluem pessoas marginalizadas e melhoram a qualidade de vida.

Referências:
Hypeness

Os comentários estão fechados.