Evitando a dengue na sua piscina

22 de novembro de 2013
Evitando a dengue na sua piscina

Todos sabem que água parada, ou sem tratamento, é o local ideal para o mosquito da dengue. Mas, você sabia que os ovos do mosquito conseguem sobreviver até um, ou dois anos, secos? E se recebem água o ciclo começa tudo de novo? Sim. Se você possui piscina, fique de olho. Os ovos são depositados nas paredes da piscina, logo acima do nível da água.

O ciclo da dengue se reinicia quando os ovos, que permaneceram duros por um ou dois anoso recebem água e com isso possibilitam que as larvas nasçam entre dois a três dias . Essa larvas podem permanecer no local de cinco a sete dias, crescendo, respirando e se alimentando dos resíduos orgânicos. E, se a piscina não é limpa e clorada regularmente (com a quantidade de cloro necessária), pode prejudicar não só sua piscina, mas sua vizinhança toda. Pense nisso!

Mas saiba que só o uso do cloro como forma de combate a dengue não garante 100% de eficiência, pois como a Secretaria Estadual de Vigilância em Saúde divulgou, o produto que tem prazo de duração e eficiência variáveis devido ao calor do sol que o faz evaporar-se da piscina, diminuindo a proteção o contra o inseto, deve estar compreendido entre 2 a 3, 0 ppm.

Fique atento, pois além do uso regular do cloro, outra medida importante contra a dengue é limpar a borda da piscina com bucha ou vassoura, pois quando a piscina está tratada e limpa evita que a fêmea deposite seus ovos.

Para finalizar, a filtragem diária é outra ação que ajuda no combate à dengue. Esta medida deve ser diária e por um período de oito horas, tomando também o cuidado com a limpeza de resíduos, materiais e a remoção de folhas e sujeiras e controlando o PH da água.

Agora que já sabe, passe a dica para as pessoas que cuidam da sua piscina e evite a dengue!

Fonte: Bonde News