Crianças x piscina: como se divertir sem medo!

18 de outubro de 2019
Crianças x piscina: como se divertir sem medo!
O céu bem azul, o sol brilhando e o clima bem quente: nada mais convidativo do que isso para que todo mundo queira passar todos os momentos de folga dentro de uma piscina refrescante! E quem mais pede por esses momentos de diversão, sempre, são as crianças, que adoram uma farra. Pensando na segurança dos pequenos e no sossego para os pais, hoje decidimos tratar sobre o tema de crianças na piscina. Veja aqui como se divertir na piscina sem medo de acidentes com a criançada!

Por que devo me preocupar?

De acordo com uma notícia divulgada há um ano pela Sociedade Brasileira de Pediatria, o afogamento está entre as principais causas de mortes acidentais de crianças no país. Os últimos dados disponíveis sobre o assunto apontam que, em 2016, houve 913 casos de óbitos por afogamento de crianças até 14 anos. Isso ocorre porque as crianças podem perder o equilíbrio facilmente ao se inclinarem para frente, por conta do peso da cabeça. Como consequência, as quedas em piscinas, banheiras ou até mesmo baldes podem causar um enorme acidente.
crianças piscina
Entretanto, esse tipo de acidente pode ser evitado! Basta seguir uma extensa lista de ações para proteger as crianças quando estiverem na piscina. Olha só:

Como prevenir afogamentos?

Não deixe crianças sozinhas na piscina

Mesmo que saibam nadar ou estejam fazendo aulas de natação, deixar uma criança sozinha perto da piscina nunca é boa ideia! A pouca maturidade impede que elas sejam prudentes na hora de tomar decisões, assim podendo agir de maneira que as prejudique.

Não confie somente em boias e acessórios

Apesar de servirem como equipamentos para que crianças possam ficar sozinhas em águas mais profundas, nem sempre as boias são tão confiáveis. Tanto boias de braço, quanto boias redondas podem virar ou esvaziar sem que os adultos e a criança percebam, assim causando um acidente. Por isso, mesmo com esse tipo de proteção, não é recomendado ficar longe da piscina quando seu filho estiver lá dentro.

Evite brincadeiras na beira da piscina

São dois os perigos que tais brincadeiras podem oferecer. O primeiro é que um objeto pode cair dentro da piscina em uma profundidade que a criança não alcança. Sem supervisão, ela poderá tentar pegá-lo, assim afundando e correndo riscos. O outro perigo diz respeito a escorregões, que podem acontecer por conta de brincadeiras de correr, acarretando também no afundamento.

Cuidado com equipamentos de sucção

Esses equipamentos, quando não estão com tampas ou devidamente protegidos, podem puxar as crianças pelos cabelos, correntes ou partes do corpo. Esse risco todos podem correr. Entretanto, as crianças não têm coordenação motora o suficiente para se livrar da situação e voltar à superfície. Nesse contexto, há algumas opções que contribuem para a segurança dos pequenos. Algumas empresas, como a Henrimar, contam com a instalação de 2 ralos de fundo interligados para cada equipamento (bomba e skimmer), conforme a norma ABNT NBR 10.339/2018. Isso faz com que a força de sucção seja dividida e, consequentemente, traz mais segurança.

Diversão sem medo!

Algumas soluções para que não exista tanta preocupação nos dias de piscina com as crianças podem ser pensadas. Primeiro, é de suma importância que a criança, desde pequena, seja orientada a ter cuidado com a água. Desse modo, não haverá perigo da mesma ter atitudes imprudentes quando estiver na piscina. Outro fator que não exclui completamente as preocupações, mas que pode dar uma boa amenizada: piscinas infantis! Apesar de não dispensar a supervisão, você já pensou que, com elas, não há motivos para temer a profundidade? Seu tamanho pequeno garante a diversão tanto para crianças, quanto para adultos, que podem aproveitar o sol sem ter tanto medo com relação a imersões e até mesmo afogamentos. Além disso, a construção e manutenção desse tipo de piscina são muito mais econômicas! Para saber mais sobre piscinas infantis, clique aqui.
crianças piscina

Caso ocorram emergências

Muitas vezes, mesmo tomando muito cuidado, acidentes podem acontecer. E, nesse tipo de situação, o recomendado a fazer é pedir ajuda. Ligar para o Corpo de Bombeiros (193) ou para o Samu (192) é de extrema importância. Afinal, os profissionais têm o treinamento adequado para lidar com a situação. Esperamos que as dicas tenham sido boas para que você preste mais atenção nos pequenos dentro da piscina. Afinal, um momento de descuido pode acabar com toda a brincadeira. Não deixe isso acontecer!