O consumo inteligente é a saída

 

O dia 5 de junho é dedicado ao Meio Ambiente. Essa data foi instaurada durante a Conferência de Estocolmo em 1972 e teve como objetivo chamar atenção de toda a população sobre os problemas ambientais e a importância da preservação do meio ambiente. Até essa data, não havia a consciência dos impactos negativos trazidos pela ação do homem no planeta e as influências que isso acarretaria às próximas gerações. Um dos impactos negativos observados foi como o consumo desfreado pode trazer vários problemas ecológicos, sociais e econômicos.

O ritmo de consumo da sociedade não é compatível com o poder de regeneração da natureza. Segundo o relatório Living Planet, da WWF, a população mundial consome 50% a mais que o planeta consegue produzir. Ainda segundo relatório, em 2050 serão necessárias o equivalente a três Terras para suprir a demanda de consumo. O mais surpreendente é que uma pequena parcela da população mundial é a responsável pelo consumo dos recursos naturais. O poder de compra foi um dos responsáveis por esses índices, estimulados pelo padrão da economia vigente. Desses resultados, surgem soluções como consumo inteligente, baseado numa economia verde e no desenvolvimento sustentável.

O novo modelo econômico prioriza o consumo inteligente, a valorização do essencial em detrimento do supérfluo e o incentivo da consciência individual e coletiva sobre as consequências da ação do homem no meio ambiente. Desses fatores, surge o desenvolvimento sustentável, que tem a missão de mudar a forma como se estrutura a sociedade.

O Instituto Akatu elaborou um Decálogo do Consumo Consciente, que direciona a população, as indústrias e o governo a realizarem atos sustentáveis para a promoção da igualdade, justiça e bem-estar: 1) Prefira produtos duráveis aos descartáveis; 2) Escolha produtos das indústrias locais; 3) Dê preferência ao uso compartilhado de produtos; 4) conheça mais sobre a produção, os produtos e os serviços social e ambientalmente mais sustentáveis; 5) Prefira as  opções virtuais mais do que as opções materiais; 6) Diga não ao desperdício  7) Ter mais satisfação pelo uso dos produtos e não pela compra em excesso; 8) Escolha produtos e práticas mais saudáveis; 9) Dê mais valor às experiências aos bem materiais, e 10) Cultive mais o espírito de cooperação.

Para mudar o mundo é necessário transformar o homem por meio de novas atitudes e pensamentos. O desenvolvimento sustentável, assim como as novas perspectivas de consumo inteligente, pode trazer uma melhor distribuição de renda, dos recursos e de espaço para todos.

Os comentários estão fechados.