A origem do mito das sereias

1 de abril de 2016
A origem do mito das sereias

O homem depende da ciência para poder concretizar a realidade e entender o mundo, na ausência dela, surgem os mitos. Em toda a história, em todos os lugares e grupos humanos, a mitologia foi essencial na construção da sociedade, que por meio de muitas histórias, criou um rico imaginário popular. Uma dessas histórias é sobre as sereias, que cativam, fascinam ou apavoram os homens.

As sereias são criaturas que habitam o imaginário humano desde a antiguidade. Seu nome é de origem grega e significa meio mulher, meio peixe ou pássaro, segundo alguns escritos antigos, os quais associavam a mulher-pássaro à morte, muito comum em sepulcros como estátuas. Com o tempo o pássaro foi substituído por peixe, assim como suas asas por caudas. Especula-se que esse mito surgiu em relatos de animais com características comuns aos sirênios, mamíferos marinhos como os peixes-boi.

Esse mito é universal, ou seja, em todos os lugares em que o homem dependia do mar para a sua alimentação ou sobrevivência, havia alguma representação feminina que enfeitiçava os homens até se afogarem. Segundo estudiosos, essas representações tinham a função de personificar aspectos do mar que eles não compreendiam ainda ou os perigos que ele trazia.

Segundo a mitologia grega, as sereias viviam numa ilha do Mediterrâneo e seduziam os marinheiros com seu canto, levando-os ao naufrágio. Seus pais são o deus dos rios Aqueloo com a musa Melpômene ou de Terpsícore. Alguns afirmavam que elas podiam prever o futuro, como na Odisseia, que representou e ajudou a eternizar essa lenda.

No Brasil, também há uma lenda para essa entidade, a Iara. Essa história chegou junto com os colonizadores portugueses e juntou-se a cultura indígena formando essa personagem. É uma mulher bonita, de cabelos longos, que, com seu canto, leva os homens jovens ou prestes a se casar para as profundezas dos rios, para morrer. Ela vive nos rios e afluentes dos rios brasileiros e também possui uma belíssima voz. No século XVIII, essa lenda se difundiu pelo Brasil afora e conquistou o imaginários de todos.

E você acredita ou não em sereias?